Há dois anos atrás, os Estados Unidos, passaram a oficializar a união matrimonial entre gays nos 50 estados, o então presidente, Barack Obama, tuitou: #LoveWins (em português “o amor vence”).

A chuva de retweets e busca pelas palavras-chave apareceram em 12 milhões de publicações na internet, sendo 630 mil em português e isso em menos de 24 horas, segundo o Laboratório de Estudos sobre Imagem e Cibercultura (LABIC).

A expressão dominou diversas plataformas digitais, dentre elas o Facebook, que até criou um filtro para celebrar o marco.

Que a internet é um campo orgânico e altamente inflamável do século XXI, já se sabe, mas o que as empresas desejam entender é como, converter toda essa potência digital para utilizar no mundo business.

 

CONVERGÊNCIA MIDIÁTICA: SUA EMPRESA A DISTÂNCIA DE UM CLICK

A internet vem se consolidando e se fazendo presente no dia a dia dos brasileiros. A pesquisa da GlobalWebIndex aponta que na escala de países que passam o maior tempo conectados à internet, o Brasil ficou na marca de terceiro lugar no ranking.



Grande parte dessa interação potencializada, deve-se as convergências midiáticas e aos avanços tecnológicos que possibilitaram uma maior demanda de aparelhos multimídia, que facilitaram o acesso aos meios de comunicação. Contudo, a tecnologia viabilizou - com seu avanço - mudanças no modo de comunicar-se.

Segundo Henry Jenkins, o pesquisador de mídias mais influente da atualidade, a comunicação segue uma linha interativa. "A convergência, como podemos ver, é tanto um processo corporativo de cima para baixo, como um processo de consumidor de baixo para cima", afirma Jenkins. A maneira "engessada" de comunicar utilizada nos séculos passados, neste momento passa por uma reformulação, onde a palavra-chave é adaptação, pois todas as mídias direcionam-se para a inovação, e observando o cenário as empresas estão seguindo a mesma manobra.

 

REDES SOCIAIS EM ASCENSÃO

As redes sociais reinventaram o modo como comunicar-se com seu receptor.  Segundo uma pesquisa feita pelo IBOPE, em 2008, a TV levou 13 anos para alcançar 50 milhões de telespectadores, enquanto o Facebook contou com apenas 9 meses para atingir a incrível marca de 100 milhões de usuários. Viabilizar a interação entre empresa/cliente nas plataformas digitais é ir além de criar uma atmosfera para interação. Ela deve ser utilizada com todo o seu potencial, inclusive como uma ferramenta importante para o engajamento do público-alvo do serviço ou produto oferecido.

Cases de sucesso na web com interação potencial, como o citado a cima (case Obama), acontecem o tempo todo e hoje estão sendo aproveitados pelas marcas. A Nike para garantir maior interação com seu público-alvo, administra a imagem da marca nas mídias sociais com hashatgs bem dirigidas, a famosa #JustDoIt é mais mencionada do que a @Nike. Outra marca que utiliza das hashatgs para impulsionamento digital é a Kitkat, com seu famoso slogan #HaveaBreak. A utilização do símbolo # mais o slogan da marca, além de filtrar e facilitar as buscas sobre o produto, assume a posição de assinatura online.

Assim, o ciberespaço é um excelente lugar para se aproximar de pessoas com interesse em seus produtos e criar campanhas com maior índice de aceitação e conversão.

 

GERENCIADOR DE CRISE

O monitoramento de redes sociais abre um leque magnífico de possibilidades quando se fala sobre marcas e como promovê-las, mas não apenas isso, ele também pode ser útil como ferramenta de gestão de crise.

Na era digital tudo é instantâneo e o mesmo acontece com possíveis crises. Ter nossa marca monitorada, faz com que rapidamente, seja administrado e concluído qualquer possível contratempo referente a imagem da marca.

O monitoramento engloba um gama de possibilidades e abordagens online, além das que já abordamos, tais como: ações em parceria de produtos, acompanhamento de tendências na web e campanhas publicitárias, dentre outras.

Trabalhar e monitorar a imagem no segmento reforça a marca/figura pública e possibilita o aumento de credibilidade da mesma.

Todo esse conjunto, caminha, para que se obtenha um retorno positivo, ou somente para manter a marca com imagem positiva e fazer uma correta gestão de crise.

 

3M’S:

Pensando em tornar mais didático o seu trabalho em mídias sociais simplificamos a estrutura em um circuito de 3 m’s = metas, métricas e mensuração. Assim, você pode ficar por dentro do sistema organizacional de um monitoramento de mídias base. Confira.

Não perca tempo e monitore sua marca, refaça estratégias em tempo real, dimensione ofertas diferenciadas e exclusivas, descubras as tendências do mercado e acompanhe os passos da concorrência. Não sabe como começar? Clique aqui! .